sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Lista de títulos sobre morfologia e outros assuntos de interesse.

Lista de títulos sobre morfologia e outros assuntos de interesse.

ALVAR, M. & POTTIER, B. Morfología histórica del español. Madri: Gredos, 1983.

ALVES, I. M. Neologismo: criação lexical. Rio de Janeiro: Ática, 1990.

ALVES, I. M. et al. (Org.). Estudos lexicais em diferentes perspectivas. Vol. I. São Paulo : FFLCH/USP, 2009. Disponível em: http://www.fflch.usp.br/dlcv/neo/livros/IVCOLOQUIO.pdf

ALVES, I. M. et al. (Org.). Estudos lexicais em diferentes perspectivas. Vol. II. São Paulo : FFLCH/USP, 2010. Disponível em: http://www.fflch.usp.br/dlcv/neo/livros/EstLexDifPerspvolII.pdf

ARONOFF, M. Word formation in Generative Grammar. Cambridge/ Massachusets: MIT, 1976.

BARBOSA, M. A. Léxico, produção e criatividade. Processos do neologismo. 2 ed. São Paulo: Global, 1990.

BASÍLIO, M. Estruturas lexicais do português. Petrópolis: Vozes, 1980.

__________. Teoria lexical. São Paulo: Ática, 1987.

__________. Formação de classes de palavras no português do Brasil. São Paulo: Contexto, 2006.

__________. O estudo da morfologia no português falado: condições de produtividade e condições de produção. In: CASTILHO, A.T. Gramática do português falado. Vol. III: as abordagens. Campinas: Unicamp, 1993. P. 364 - 372.

BLUTEAU, R. Vocabulário portuguez e latino. Coimbra: Collegio das Artes da Companhia de Jesus, 1712-1728.

BRÉAL, M. Ensaio de semântica. Trad. Eduardo Guimarães. São Paulo: EDUC/Pontes, 1992.

BRUNSWICK, H. (Coord.). Diccionario da antiga linguagem portuguesa. Lisboa: Lusitana s.d..

CÂMARA Jr., J. M. Estrutura da língua portuguesa. Petrópolis: Vozes, 1970.

CASTRO, I. (Org.). Curso de história da língua portuguesa: leituras complementares. Lisboa: Universidade Aberta, 1991.

CAVALIERE, R. Fonologia e morfologia na gramática científica brasileira. Niterói: EDUFF, 2000.

COROMINAS, J. Diccionario crítico etimológico de la lengua castellana. Madri: Gredos, 1954.

COSERIU, E. Formen und Funktionen. Tübigen: Niemeyer, 1987.

__________. Principios de semántica estructural. Madri: Gredos, 1977.

ELSON, B. & PICKETT, V.. Introdução à morfologia e à sintaxe. Tradução de Aryon D. Rodrigues e outros. Petrópolis: Vozes, 1973.

ERNOUT, A. Les adjectifs latins. Colletion Lingistique. LIV. Paris: Société de Linguistique de Paris, 1949.

FARIA, E. Vocabulário latino-português: significação e história das palavras agrupadas por famílias segundo os programas atuais. Rio de Janeiro: F. Briguiet, 1943.

FREITAS, H. R. Princípios de morfologia. Rio de Janeiro: Presença, 1981.

GUILBERT, L. La créativité lexicale. Paris: Larousse, 1975.

HECKLER, E.; BACK, S & MASSING, E. Dicionário morfológico da língua portuguesa. São Leopoldo: Unisinos, 1984, 5v.

_______________________________. Estrutura das palavras: famílias, morfologia análise, origem. São Leopoldo: Unisinos, 1994.

HOLTUS, G. et alli (org.) Lexikon der romanistischen Linguistik. Tübingen: Max Niemeyer, 1983.

HOUAISS, A. & VILLAR, M. (Org.). Dicionário eletrônico Houaiss da língua portuguesa. Versão1. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001. CD.ROM, v. 1.0.

KEHDI, V. Morfemas do português. São Paulo: Ática, 2001.

LAPA, M. R. Vocabulário galego-português, tirado da edição crítica das cantigas d’escarnho e de mal dizer. Coimbra: Galáxia, 1965.

LOBATO, L. M. P. (Org.) A semântica na lingüística moderna: o léxico. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1977.

MAIA, C. de A. História do galego português. Coimbra: Calouste Gulbenkian, 1986.

MASSINI-CAGLIARI, G.; BERLINCK, R. de A.; GUEDES, M. & OLIVEIRA, T. P. de. Trilhas de Mattoso Câmara e outras trilhas: fonologia, morfologia, sintaxe. Série Trilhas Lingüísticas nº 12. Araraquara: UNESP, 2007.

MATTOS E SILVA, R. V. A língua portuguesa em perspectiva histórica: Do português europeu para o português brasileiro: algumas questões. Salvador: ABRALIN, 1999.

____________________. O português arcaico. Morfologia e Sintaxe. São Paulo: Contexto, 1993.

MAURER JR., T. H.. Gramática do latim vulgar. Rio de Janeiro: Livraria Acadêmica, 1959.

MEYER-LÜBKE, W. Romanisches etymologisches Wörterbuch. 6 unveränderte Auflage. Heidelberg: Carl Winter, 1992, c. 1935.

MONTEIRO, J. L. Morfologia portuguesa. Campinas: Pontes, 2002.

PENA, J. Usos anómalos de los sustantivos verbales en el español actual. Anejo 6 de Verba, Santiago de Compostela: Universidad de Santiago de Compostela, 1976.

______. La relación derivativa. ELUA, nº 17, 505-517, 2003.

______. Nombres deverbales con lectura deadjetival. In: Luis Santos Río, Julio Borrego Nieto, Juan Felige García Santos, José J. Gómez Asencio y Emilio Prieto de los Mozos (eds.), Palabras, norma, discurso. En memoria de Fernando Lázaro Carreter. Salamanca: Ediciones Universidad de Salamanca, 881-896, 2005.

______. El cambio morfológico en el interior de las series de derivación. Revista de Investigación Lingüística, nº 11, Murcia: Universidad de Murcia, 233-248, 2008.

PIEL, J. M. Estudos de lingüística histórica galego-portuguesa. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1989.

__________. Miscelânea de etimologia portuguesa e galega. Coimbra: Universidade de Coimbra, 1953.

PHARIES, D. Diccionario etimológico de los sufijos españoles. Madri: Gredos, 2002.

RIO-TORTO, G. M. Formação de palavras em português: aspectos da construção de avaliativos. Coimbra: Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, 1993.

_______________. Morfologia derivacional: teoria e aplicação ao português. Coleção Lingüística nº 12. Porto: Porto Ed., 1998.

_______________. Nomes e verbos em português. Porto: Almedina, 2004.

ROCHA, L. C. de A. Estruturas morfológicas do português. Belo Horizonte: UFMG, 1998.

SAID ALI, M. Gramática histórica da língua portuguesa. Edição revisada por Mário Eduardo Viaro. São Paulo: Melhoramentos/ UNB, 2001.

SANDMANN, A. J. Formação de palavras no português brasileiro contemporâneo. Curitiba, Scientia et Labor: Ícone, 1988.

______________. Competência lexical. Produtividade, restrições e bloqueio. Curitiba: UFPR, 1991.

______________. Morfologia geral. São Paulo: Contexto, 1991.

SILVA NETO, S. da. História da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Presença/MEC, 1957.

TAGLIAVINI, C. Origine delle lengue neolatine. 2a ed. Bolonha: Riccardo Pàtron, 1952.

TEKAVCIC, P. Grammatica storica dell' italiano. Volume III: Lessico. Bolonha: Società ed trice il Mulino, 1972.

TEYSSIER, P. História da língua portuguesa. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

ULLMAN, S. Semântica: uma introdução à ciência do significado. Trad. J. A. Osório Mateus. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 1977.

VIARO, M. E. Para um estudo da semântica sincrônica dos sufixos derivacionais em português do século XIII. Grupo de Estudos Lingüísticos do Estado de São Paulo. Taubaté: Unitau, 2003.

____________. Por trás das palavras: manual de etimologia do português. São Paulo, Globo, 2004.

____________. Problemas de morfologia e semântica histórica do sufixo –eiro. Grupo de Estudos Lingüísticos do Estado de São Paulo. São Carlos: UFSCar, 2005.

____________. Os sufixos portugueses em uma visão diacrônica. Anais do Cellip. Londrina: UEL, 2004. CD-ROM.

____________. Estudo diacrônico da formação e da mudança semântica dos sufixos -eiro/-eira na língua portuguesa. In: MASSINI-CAGLIARI, G. et alii (org) Trilhas de Mattoso Câmara e outras trilhas: fonologia, morfologia, sintaxe. São Paulo, Cultura Acadêmica, Série Trilhas lingüísticas n. 12, 2007, p. 45-84.

____________. Reconstrução lexical do português antigo paulista. Revista do GEL, Araraquara, v. 04, 2007, p. 39-53.

____________. Problemas de morfologia e semântica histórica do sufixo -eiro. Estudos Lingüísticos, São Paulo, v. 35, 2006, p. 1443-1452.

____________. Relação entre produtividade e freqüência na produção do significado. Estudos Lingüísticos, Campinas, v. 34, 2005, p. 1230-1235.

VILLALVA, A. Estruturas morfológicas: unidades e hierarquias nas palavras do português. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 2000.

VILELA, M. Estudos de lexicología do português. Coimbra: Almedina, 1994.

VITERBO, J. S. R. Elucidário das palavras, termos e frases que em Portugal antigamente se usaram e que hoje regularmente se ignoram. 2a ed. Porto: Civilização, s.d

WIERZBICKA, A. Semantics: primes and universals. Oxford: Oxford University Press, 1996.

WILLIAMS, E. B. Do latim ao português: fonologia e morfologia históricas da língua portuguesa. Traduzido por Antônio Houaiss. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do livro, 1961.



http://www.usp.br/gmhp/Bibl.html

Um comentário:

  1. Qual foi o melhor blog de 2012? - Vote de hoje até 30/01/2013
    http://www.facebook.com/events/128687543960292/

    Vote em um dos blogs abaixo:

    http://divulcacaoepublicacao.blogspot.com.br/


    http://vidaesaude-nascimento.blogspot.com/


    http://nascimentosampaio.blogspot.com.br/


    http://nascimento-educacao.blogspot.com/


    http://cienciasjuridicas-anisia-nascimento.blogspot.com.br/


    http://meioambiente-ecidadania.blogspot.com/




    Visite o site "Alex Silva Sem Censura" e vote em um dos blogs acima citados. Endereço do site: http://blogdoalex-silva.blogspot.com.br/

    Obrigada,
    Anisia Nascimento

    ResponderExcluir